sexta-feira, março 06, 2009

Reforma Agrária ?

Os caras do outro lado do Oceano dividiram isso aqui especulando o tamanho do lugar... Pois bem, o mais otário Rei do momento ficou com a maior parte, puta negócio.... E ali já tinha começado a exploração da nossa Terra. Logo depois as sesmarias, capitanias e tal. Vários cupinxas ganharam seu pedaço, a contrapartida, claro, garanta o lucro do lado de cá do oceano.
Corre pra cá e pra lá e a mina de ouro passa de mão em mão no imaginário da elite de européia. Até aqui no campo (unica atividade comercial) o negócio é escravocrata e bandeirante mesmo... matando índio avançando a compra de escravos africanos. Aqui entra um personagem fantástico. O Zumbi dos palmares.

Até a metade do século 19 o que se sabe é que tá tudo em baixo dos panos... e ao contrário de promover a reforma agrária, eles limitaram o usucapião. Ou seja, até ali controlavam a propriedade rural na base da força, do cangaço. Os almofadinhas achavam que só o contrato de compra e venda já resolveria a merda instaurada, as vinganças, as injustiças.

A igreja e a elite européia também é responsável pelos assentamentos dos brancos oriundos de países como Itália, Alemanha, Polônia e Japão pra popular as conquistas de terras da guerra do Paraguai, um puta golpe contra a América Latina e seu povo. Disimou o mais promissor e endividou os vencedores da aliança, e ainda usaram o novo sul do Brasil pra anistia de guerras, que não foram nossas hehehe.

Na ultima metade do século rola um controle por parte da igreja a qual levava um certo progresso nas suas Missões que ao menos criavam Municipios. Ali destaca-se a época de Padre Cícero, que assim como outros padres de origem humilde (único meio de ascenção social da época), usavam de seu poder Celestial e Político para amenizar as dores do sertanejo explorado.

Na luta de Antonio Conselheiro perdemos a resistência e a República se individa mais um pouco. O primeiro AlgumaCoisaDuto começa com a guerra de CANUDOS, eita nome sugestivo.

Ai quando o povo começa a entender seu destino, o Latifundio é o resultado de muitas lutas sangrentas, criando figuras emblemáticas como Lampiao, que hoje pode ser visto nos olhos de muitos periféricos das metropoles vivendo, roubando, matando, morrendo... A resistencia ainda tá aí, mas ninguém vê... a Revolução não será televisionada nunca...

Então chega a ditadura. Chumbo e porrete, pra mostrar mesmo quem manda.

Pediram, clamaram, suplicaram, morreram, sofreram, choraram e tudo que conseguiram na luta contra a ditadura foi um acordo... Silencio dos dois lados, todo mundo ganha.
Desde que nasci, só ouvi falar de um grande movimento popular de sucesso, nos seringais, onde surgiu um outro maluco que foi detido à bala, Chico Mendes.

E assim chegamos ao século vinte um miseravelmente explorando o velho "grande negócio" do Brasil. A "TERRA"... quem a tem, tem poder. Todo mundo sabe disso, todos entendem. Mas existe outra coisa muito velha por aqui, a idéia de que povo não pode progredir, povo tem que continuar povo, povão, povinho, gentalha.... Condenados à miséria, os rótulos vão mudando, hoje grileiros, amanhã agentes do INCRA, depois sei lá o quê.

Mas quando o povo resiste bravamente, a elite vende a história como vandalismo e selvageria.

Hoje a luta é no campo e na mídia. As maiores heranças da ditadura, a mídia gorda burra viciada e o maior movimento popular já visto no país, o MST.

Mas o agrobu$iness tá aí, e com ele a necessidade de se manter o latifundio, à golpes baixos como sempre. Afinal eles garantem o futebol , a cachaça e mulher pelada na TV. O arroz com feijão é problema teu.

O problema aqui é OTUS 500.... anos!

Vida longa ao MST.