quinta-feira, novembro 30, 2006

BOICOTE AO FILME 'TURISTAS'


Estou aqui para iniciar uma campanha em massa, e conto com vocês, para BOICOTAR integralmente o filme americano TURISTAS, que estréia lá em 1o de Dezembro e aqui em Janeiro ou Fevereiro, distribuido pela Paris Filmes.


Para quem não sabe, o filme conta a história de 6 jovens americanos que vêm ao Brasil de férias. Chegando aqui tomam uma caipirinha com 'boa noite cinderela', são assaltados, sequestrados, torturados e por fim têm os órgãos roubados por traficantes da industria negra dos transplantes. Alguns morrem e mesmo os que sobrevivem não têm um final feliz. O filme é classificado como TERROR, comparado ao filme 'O Alberge', e a EMBRATUR já está tão preocupada com a péssima repercussão do filme lá fora que, temendo uma queda brusca na receita do país vinda do turismo internacional, já está preparando campanhas intensas para serem veiculadas lá fora e tentar minimizar os estragos.
Façamos então a nossa parte. Vamos fazer deste absurdo, pelo menos aqui no Brasil, um fracasso total de bilheteria.
NÃO ASSISTAM, NÃO DÊEM $$$ A UMA PRODUÇÃO QUE SÓ VISA DENEGRIR NOSSA IMAGEM.
Só pra se ter uma idéia, o trailer começa com a frase: 'Num país onde vale tudo, tudo pode acontecer!!!'

----- VEJA O TRAILLER ------




PS - para quem quer saber mais.

sexta-feira, novembro 24, 2006

8ª Festa do Livro da USP

ESTIMULO A LEITURA
VIII Festa do Livro da USP será realizada na FFLCH


Período: 22/11 a 24/11 das 9h ás 21h

Local: Prédio dos Departamentos de Geografia e História/FFLCH - Cidade Universitária - São Paulo/SP

Obs.: Veja a relação de editoras deste ano!

USP Online

Com o intuito de ampliar o acesso do público universitário ao livro, a Edusp, com apoio da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP, realiza de 22 a 24 deste mês a VIII Festa do Livro da USP.
Estarão presentes mais de 100 editoras, comercializando seus livros com descontos de 50% ou mais. O evento acontece no pátio da Geografia/História, das 9h às 21h, na avenida Professor Lineu Prestes, 338, Cidade Universitária, São Paulo.

Informações pelo telefone: (11) 3091-1617

terça-feira, novembro 14, 2006

Dia da Consciência Negra




O que é o dia da Consciência Negra?

Esse dia representa primeiramente o aniversário de ZUMBI DOS PALMARES, o ilustríssimo negro que lutou pelos seus irmãos numa época muito diferente da nossa e bateu de frente com as injustiças humanas, mesmo sendo considerado pela sociedade um animal quadrúpede.

Zumbi dos Palmares, nasceu no ano de 1655 em uma das aldeias do Quilombo de Palmares, foi feito prisioneiro ainda recém nascido, e entregue ao Padre Antônio Melo da freguesia de Porto Calvo, foi batizado com o nome de Francisco, foi coroinha, estudou latim e português, em 1670 fugiu da paróquia para Palmares onde se tornou o grande líder após ter passado por grandes provas de coragem. Era corajoso e tinha grande capacidade de organização e comando, tornou-se um mito entre os negros.

Sua consciência negra o levava a lutar não pela sua liberdade e sim pela liberdade de todos os negros e índios que viviam em Palmares.

Ter consciência negra significa compreender que somos diferentes, pois temos mais melanina na pele, cabelo pixaim, lábios carnudos e nariz achatado, mas que essas diferenças não significam inferioridade.
Ter consciência negra, significa que ser negro não significa defeito, significa apenas pertencer a uma raça que não é pior e nem melhor que outra, e sim, igual.

A nossa maldita mídia sempre transforma um Preto Tipo A num neguinho. A adoção de traços polêmicos no rap torna pública a transformação ocorrida na postura do negro. O negro jovem constrói seu próprio estereótipo; e sua música assume a tensão como alternativa discursiva, negando duplamente a cordialidade construída pelo mito da democracia racial.

O manifesto exige uma indenização pela exploração da mão-de-obra escrava, com vista à aplicação em ações afirmativas como a construção de universidades voltadas para pesquisas das questões étnicas; de uma imprensa de mesma orientação; e um banco que gerasse e gerisse recursos para sua sustentação.
Defende a instalação do "Poder Negro" contrapondo-se às ações integracionistas do negro na sociedade estruturada e regida por brancos, "Poder Branco". Privilegia a busca da africanidade, destacando a importância da experiência da conquista de independência dos países africanos. O conflito étnico não foi resolvido, mas a obscuridade do mito da democracia racial não encontrou acolhida naquela sociedade.

A tensão do enfrentamento não foi assimilada no Brasil. O modelo de negro bem-sucedido entre nós ainda mantém vínculos estreitos com o integracionismo.

Se adequa ao mundo que lhe é imposto pela ideologia do branqueamento, que sustenta a imagem do negro manemolente, sorridente. Era tarefa dos negros lutar por uma adequação material e reconstruir sua identidade. A discussão das questões raciais alcançaram um alto grau de elaboração em nosso país, porém restrita a militantes ou à intelectualidade.

Enquanto população, o negro continua situado no hall da miséria. Poucos ascenderam socialmente; destes, a mínima parte discute ou pratica a Negritude."

Destes negros que ascenderam socialmente, a grande maioria se dá não só pelo talento e inteligência e sim pelo marketing da mídia que se utiliza de um instrumento poderoso, a hipocrisia. Atletas, músicos (generalizando! Já que alguns não sabem nem o próprio nome.), artistas, etc. Isso acontece por que a falta de consciência e articulação gerada pela miséria garante o deslumbramento da sociedade capitalista. Qual moleque negro que não sonha em ser jogador de futebol ou pagodeiro, ter dinheiro e as "mulheres" ao seu redor?

A consciência negra não sugere uma revolução armada, e sim uma mudança de atitude, baseada na informação e articulação das mentes que podem transformar a sociedade.
Os valores são igualdade, justiça e paz.

Há alguns anos, ouvi um grupo de negros fazendo o melhor RAP que representa a consciência negra, uma música chamada "NEGRO LIMITADO" (Racionais MC's), essa letra traduz tudo que tentei escrever, ou seja, antes de se colocar no papel de negro rejeitado e discriminado, o negro precisa se enxergar e ter seus valores, pois cobrar a sociedade é fácil, ter atitude própria e articulação suficiente para exigir seus direitos é diferente.

Justiça, Igualdade, União e Paz, não são esmolas, são conquistas, são nossos desafios.

Outro Negro muito famoso um dia falou: - Enquanto a cor da pele for mais importante que o brilho dos olhos, no mundo haverá guerra! (Não sei se a frase seria exatamente essa, mas foi o que eu entendi dela).

quinta-feira, novembro 09, 2006

Saiba onde pisar

Chiapas: Centro Zapatista
Chiapas é um estado pobre, com uma população de 4.255.790 habitantes, composto por 90% de índios com grande diversidade lingüística de origem maia (chol, tojolabal, tzeltal, tzotzil, mam e lacandón).

Um povo marcado pela exploração e pela opressão de brancos europeus, que resiste para que sua cultura, língua e costumes não sejam extintos pelo fato do governo federal não garantir os direitos constitucionais indígenas.

Todo o movimento encontra-se em Alerta Vermelho pelo fato de Oaxaca estar imersa em grande crise e porque o futuro deste estado trará conseqüências a Chiapas. Isto quer dizer que todas as organizações zapatistas estarão fechadas para informações e visitas até segunda ordem dos comandantes.

Início do EZLN, os MARZ e as Aguacalientes
O nascimento oficial do Exército Zapatista de Liberación Naciol - EZLN, deu-se no dia 17 de novembro de 1983, quando seis insurgentes (cinco homens e uma mulher) instalaram-se na Selva Lacandona (Chiapas) com o objetivo de iniciar um movimento revolucionário. Durante dez anos, o Exército Zapatista organizou-se de forma explosiva: aprendizagem de táticas e estratégias militares, manuseio de armas de fogo, recrutamento de combatentes, formação política.

No ano de 1993, o movimento passou a ser conhecido mundialmente. Às 24 horas do dia 31 de dezembro do mesmo ano, o EZLN ocupou diversas entradas e saídas de cidades e tomou dois grandes quartéis militares do Estado de Chiapas, iniciando uma guerra contra a organização social vigente e pela soberania dos povos indígenas. O ato desencadeou-se sob a desprevenção do Governo Federal que estava preparando a entrada em vigor do Tratado de Livre Comércio da América do Norte.

O surgimento dos Municípios Autônomos Rebeldes Zapatistas – MARZ - deu-se após a tomada de algumas cidades, paralelamente ao processo de independência dos poderes oficiais. Nasceram, assim, novos poderes com diferente forma de organização.

Em 1994, o EZLN teve a tarefa de construir espaços para facilitar o contato político e cultural com a sociedade civil a fim de difundir o ideal zapatista e amplificar o alcance dos futuros trabalhos a serem realizados. Logo de imediato, o Exército Federal avançou sobre as posições zapatistas e tomou a comunidade de Guadalupe Tepeyac, destruindo-a e construindo ali um quartel general.

Em 1996, porém, o EZLN convocou a sociedade civil a fundar novos aguascalientes como forma de resistência e rebeldia popular, iniciando assim a transmissão da responsabilidade pela luta a todos os moradores de Chiapas, delegando-lhes a construção da revolução no país.

Nasceram, assim, 5 aguascalientes: Aguascalientes I (La Realidad), Aguascalientes II (Oventic), Aguascalientes III (La Garrucha), Aguascalientes IV (Morelia) y Aguascalientes V (Roberto Barrios), todos empenhados na organização de iniciativas zapatistas de diversas naturezas, como o Primeiro Intergalático, Fórum Especial para a Reforma do Estado, Fórum Nacional Indígena, Primeiro Encontro Americano contra o Neoliberalismo e pela Humanidade, Encontro Nacional de Comites Civis para o Diálogo Nacional.

Caracóis, Juntas de Bom Governo, a Sexta Declaração e a Outra Campanha
Após profunda reflexão, ao verificar um vácuo entre as aguascalientes e os 27 MARZs e também o distanciamento da ação em relação à sociedade civil mexicana e internacional, o EZLN celebrou nos dias 8, 9 e 10 de agosto de 2003 o nascimento dos primeiros Caracóis e suas Juntas de Bom Governo, em substituição às extintas aguascalientes. Os Caracóis são pequenos estados regionais que agrupam entre dois e sete municípios autônomos cada, com o objetivo de tornarem-se centros civis do movimento zapatista. A competência das Juntas passou a ser implementar programas de produção de comida, saúde, educação, através de deliberações realizadas em assembléias com a participação de toda a população.

Em 28 de junho de 2005, o EZLN tornou pública a Sexta Declaração da Selva Lacandona, que teve por objetivo realizar o levantamento histórico do movimento, apontar suas diretrizes, chamar os trabalhadore do campo e da cidade, os estudantes, professores, crianças, jovens e idosos, todos os mexicanos, desde que fossem de esquerda, anticapitalistas e antineoliberais, para, em conjunto, elaborar uma proposta não eleitoral, levantar os anseios populares e positivar uma nova constituição. Na sexta declaração, há uma forte crítica ao sistema capitalista e suas conseqüências sociais. O movimento estende a necessidade de lutar pelos direitos dos índios a todas as minorias. A partir do dia 1 de janeiro de 2006, o EZLN iniciou a marcha conhecida por Outra Campanha, que percorre os 31 estados do México. Os comandantes encontram-se, hoje, no norte do país, dando continuidade à passagem que foi realizada no sul e centro do México.

A grande diferença do movimento zapatista é a sua organização horizontal, sem hierarquias e uma grande rotatividade nas cadeiras de seu governo. Não há eleições, nem propagandas políticas, apenas escolhas por parte das Assembléias. O poder das mulheres é igual ao dos homens (47% dos que compõe os 100 zapatistas do Comite Clandestino são do sexo feminino. Este comitê é a instância superior do EZLN, no qual se reúnem os comandantes e comandantas). A divisão do trabalho é decidida por todos, e os meios de produção são do coletivo. É um movimento que não luta pelo poder, mas constrói espaços paralelos ao Estado oficial.

Leia o especial LATINAUTAS, com a íntegra dos relatos e comentários sobre a expedição "Da América para as Américas". (Leia aqui)

terça-feira, novembro 07, 2006

OAXACA

Em solidariedade ao povo de Oaxaca e em memória a Brad Will, diversos protestos surgiram ao redor do mundo em menos de 72 horas. Somente na segunda-feira, 30 de Outubro, ao menos 14 cidades americanas aderiram ao protesto. Em Nova Iorque, cerca de 11 manifestantes foram detidos. Na Europa, protestos ocorreram em Londres e em
Barcelona o Consulado do México foi ocupado. No Brasil, manifestações estão sendo convocadas em diveras cidades: Rio de Janeiro, Fortaleza.

Historicamente Oaxaca é a terra dos Zapotecas e Mixtecas. Um dos maiores heróis nacionais mexicanos, Benito Juárez era oriundo da povoação oaxacana de San Pablo Guelatao. Outros filhos famosos do estado incluem Rufino Tamayo, Porfirio Diaz, José Vasconcelos, Francisco Toledo, María Sabina, Alberto Canseco e Vinny Castilla.

Acompanhe toda a cobertura minuto a minuto no site do CMI http://www.midiaindependente.org/

quarta-feira, novembro 01, 2006

Réu ou testemunha?

Ontem no Jornal da Globo me indignei novamente e tive que dormir com raiva. A mídia é tão rídicula que não quer mais dar a notícia, querem ser a própria noticia. Na Folha, um retrato ampliado do que é nossa grande mídia e como ela se pretende acima da lei e da Constituição. Com a chamada de primeira página “Jornalistas dizem ter sido intimidados ao depor na PF”, a matéria começa descaradamente ligando o convite a repórteres da Veja com as declarações do presidente reeleito e do presidente do PT.

Essa mesma mídia, que apoiou e aplaudiu todo tipo de arbitrariedade das CPIs, do Ministério Publico e da Polícia Federal quando se tratava do PT, agora, sem nenhuma razão, levanta-se contra uma medida corriqueira de um inquérito policial, o depoimento. A PF diz que não houve nenhuma irregularidade e que os depoentes não “manifestaram contrariedade ou discordância”. Vale lembrar que os jornalistas estavam sendo interrogados na condição de testemunhas.

Essa mídia, acostumada com a impunidade e com a violação da lei, quer ficar acima da lei e da Constituição. Quer carta livre de corso, para atingir a honra alheia e violar os direitos individuais. Se há um ministério que o Brasil deveria ter é o ministério da inquisição dos profissionais de mídia. Enquanto isso, em Oaxaca o pau ta comendo e essa mídia escrota ao menos dá atenção.Se nem a própria mídia sabe qual o seu papel, imagine se eles entendem o conceito de liberdade de expressão. Marx se contorse dentro do caixão e eu continuarei excretando por aqui... Merda por merda, confio mais nas minhas.

Papillon Brazuca

Um dos presos por envolvimento no assalto ao Banco Central em Fortaleza, Jean Ricardo Galian, 28, conhecido como Gordo, disse que parte dos R$ 4,9 milhões que recebeu pelo furto foi gasto no pagamento de resgates para ficar livre de três seqüestros.

O assalto ao Banco Central de Fortaleza foi em agosto do ano passado. Foram levados R$ 164,8 milhões da caixa-forte do banco, por meio de um túnel de 80 metros.

O líder Fernandinho comandava todas as ações na casa onde foram feitas as escavações do túnel.

Fernandinho foi morto em outubro do ano passado, após ter sido seqüestrado e ter pago resgate. Policiais estiveram envolvidos no caso.

Em outro caso famoso, Fernando Dutra Pinto, o sequestrador da filha do Silvio Santos também teve um final tráfigo e nebuloso. Assaninado por policiais civis, também deixou no limbo o produto de seu crime, o resgate que o Silvio Santos pagou.

É por essa e por outras que eu afirmo que o "Leão" também trabalha no mercado paralelo. O faturamento dos ladrões, sequestradores e traficantes, inevitavelmente passa pela cunho do estado, seja através das inversões de papéis dos profissionais de segurança pública ou nos bastidores da nossa inabalada justiça.

No final das contas, o verdadeiro profissional é o ladrão. E o bandido... preciso mesmo citar?