domingo, dezembro 31, 2006

ufah, 2006 acabou!

Se a história da humanidade não foi feita em apenas um ano, o que o ano de 2006 poderia representar para a história? O que dizer sobre o rumo do mundo, e da própria história se esquecessemos o ano de 2006 e seus acontecimentos?

O ano começa com a sua coincidência hilária, ano de copa e eleições presidenciais, a vida teria sido melhor se o Brasil tivesse conquistado o hexa? Seria muita coincidência o Brasil ser campeão somente quando querem favorecer uma certa continuidade política? Ou será que os campeões mundiais a cada quatro anos são sempre aqueles que passam por dificuldades politicas a pretexto de tirar o foco do povo para as suas questões essenciais?
Nada pior para um governo do que sua seleção “mágica” não conseguir o óbvio, ou melhor, refletir a incompetência brazuca. O mais interessante é que o herói nacional, o comedor de loiras, não aceita brincadeiras e apela, na tentativa de ofender o presidente da república. Responsabilidade?? Pra quê???. Mas tudo bem, ele não vive na república das bananas, e o tal barbudo é apenas um torneiro mecânico semi-analfabeto e rude. Ele renega isso tudo! Só queria ver ele falando pra Cicarelli depois de brochar: - Meu contrato de casamento não afirma que tenho que te fazer gozar sempre!... Outra coincidência é a ex-Ronaldete e atual milionária às suas custas, fazer um filminho erótico na praia com outro ricasso. Afinal filme “pornô” é coisa para a Gretchen ou Rita Cadilac, as tesudas geriátricas...
Da copa, eu fico com apenas um fato, o do Zidane, e que se dane o que vão pensar, afinal ser humano não é ser perfeito, muito menos ter sangue de barata.

Falando em barata, tivemos outro fato lamentável, a maior instituição do mal, consegue através do seu representante máximo (ex-SS), dizer ao mundo num discurso “barato” que maomé insita a violência. Não bastasse os profetas afirmarem que o mundo acabaria em 2006 ou no mínimo a terceira guerra mundial começaria neste ano. Nem devemos considerar a atual situação do oriente médio e o apóstolo maléfico estadunidense (licensed to kill) na liderança na maior carnificina humana e por sua ira de “justiça” caçar e enforcar o Saddam.

Nem só de coincidências e boas intenções vive o inferno chamado planet earth, mas de retóricas também. O mundo seria melhor se a Suzanezinha tivesse sido condenada antes? Imagine ela daqui alguns anos conseguindo outro habeas corpus e saindo da cadeia com o objetivo de equalizar os défits da previdência social? Não restaria nenhum velhinho na fila do INSS, ela acabaria com todos à pauladas. É uma pena que o governo não entenda dessas coisas.

A mídia em todos esses episódios ensinou alguns dos postulados da dominação midiática. As marionetes mais conhecidas como povão e seus algozes patrões, semi-burgueses falidos, acreditaram que o tal PCC parou São Paulo em maio deste ano, a ridicula mídia fez o seu papel social, matou varios brasileiros de infarto com a sua responsabilidade de só veicular a “verdade”. Neste dia, mais precisamente em 15 de maio, até os bancos fecharam às 16hs. Hahahaha, os intelectuais pensam, pensam e morrem na praia, afinal, o ego e a ignorância acadêmica os deixam cegos e surdos para o mundo real. E não entenderam por que os "omí" tiveram motivos pra chacinar nas quebradas...

O barbudinho completou a meia-dúzia na liderança de esquerda da américa latrina. O novo bloco mundial “conosco ninguém fodosco” está montado, governantes de origem pobre estão à frente e os idiotas consumitas acham isso um retrocesso. Na boa, se der tudo errado, erraremos pela primeira vez... Chega dos mesmos errarem sempre e nós pagarmos a conta.

E engrossando o caldo, temos coincidências, retóricas e mais injustiças hilárias, depois de coordenar a ECA-USP por algumas décadas, a grandiosa atriz de o “Tapa na Pantera” fica famosa no Youtube. Só agora!

Antes que eu esqueça, o obituário deste ano tem nomes muito expresivos, se eu começar a citar, terei que usar a linha do tempo e fechar com Saddam e James Brown. Correria o risco de esquecer de mencionar os atores globais e o mané que morreu no Everest, mesmo que este ultimo tenha me feito repensar o que os livros de auto-ajuda falam sobre lutar pelos seus objetivos, ou seja, a merda do meu ego ou mais dois orfãos? Foda-se! O Telê Santana morreu na merda, e daí?

Em 2006 entendi que a guerra civil sempre existiu no Brasil, é pobre matando pobre, e o incapazes que não fizeram grana suficiente para bancar advogados ou propinas, ganham exílio nos purgatórios carcerários, sem direito a revisão de processo ou direitos básicos. Mas que ironicamente garantem a sua sub-sobrevivência e saem das estatisticas. A maioria destes jovens de até 25 anos apodrecem em Hortolandia, Campo Grande, Itirapina entre outros. E o intelectual mais inteligente e articulado do Brasil, formado nas cadeias, desbancou todos os parlamentares diplomados, na CPI (do quÊ mesmo!?) kakakak!
Sabe pra que serve tudo isso? Para aumentar o déficit da previdência... hahahah ... cadê a Suzane!
Se ao menos fizessemos acordos com os corajosos de 2006, Coréia do Norte e Irã, e comprassemos algumas ogivas nucleares para acabar com os morros e favelas, a vida seria mais fácil, não? Quase esqueci... Armamento americano pra explodir os presídios, custa muito caro manter esses "vermes".

Outra coisa que me balançou este ano foi a saúde do Fidel, me deixando temeroso de não conhecer Cuba durante seu governo. Tenho muito medo de que transformem a ilha em outro paraíso de CARAS um num mega shopping chamado DASLU.

Falando em DASLU, quase ia esquecendo do nosso FBI tupiniquim, que prendeu as madames da DASLU, o pilantra do Banco Santos – que lesou muitos investidores, que pena! - e prendeu até o Maluf. Kakakakka... Só não vamos esquecer que eles vendem provas pra Globo pra FODER com o presidente analfa, ou vamos esquecer isso também?

Antes de começar a rascunhar isso, pensei sobre a tal violência urbana e o impacto disso na vida cotidiana neste ano. Nem precisei raciocinar muito. Da minha infância, os poucos sobreviventes agora podem comer melhor, possuem condução própria e sonham e consumir mais. Num comparativo rídiculo, com os tempos melhores da nossa linda republica dos burga para os burga, meus pais ralaram, conseguiram correr contra a miséria que estavamos destinados pelos decretos, e isso levou quase 30 anos e matou meu pai de desgosto, antes mesmo de entrar na fila do INSS, ufah. Concordo que o valor da vida humana caiu muito de lá pra cá, a vida se tornou mais difícil e cara, mas em pouco tempo, diria pouco mais de 5 anos, vejo muitas pessoas que cresceram na mesma miséria que eu botarem o nariz pra fora do esgoto que estavamos atolados.
É, parece muito positivo isso, mas a pilatragem a cada dia ganha mais espaço nas relações humanas. A valor da vida nas bolsas de valores tiveram quedas recordes, mas e daí? A miséria só afeta os vizinhos, a mim não... Eita inconsciente popular mesquinho. Voltando ao ponto, violência urbana, em 1993 conheci o RAP, racionais MC's e a primeira faixa que ouvi continua ecoando como algo muito recente, ou seja, nada foi feito, nada mudou além do abismo social fomentado pela hipocrisia.
Em 2006 um outro Rapper, MV Bill, lançou um documentário exibido pelo Fantástico, “Falcão – Meninos do Tráfico”, pra mim e para a maioria do povão, isso não era novidade, a unica novidade é que em todas as capitais temos o mesmo problema. E sabe o que é mais interessante? Ninguém deu a mínima. O Hip Hop não pára de crescer e de mobilizar o povo massacrado, mas a tal “sociedade” só chora quando um emo-core rídiculo leva chumbo ao tentar fugir de um assalto. E hip hop só é investimento válido quando dá retorno $$$$.
Em 2006 o IBGE mostrou camufladamente, e claro, só depois das eleições, que somos campeões do mundo quando se fala em morte de jovens entre 16 e 25 anos. O que ninguém raciocina é sobre as peculiariedades. A maioria é vítima de armas de fogo e afro-descendentes (que termo bonito!), ou seja, pobre e/ou preto!. O menor parcela é de branquinhos classe-média que mete um monte de “balinhas” pra dentro e aceleram seus lindos brinquedos motorizados.

Particularmente, 2006 me esinou muito sobre minhas crenças. A honestidade definitivamente está fora de moda, e que além de crer em vida inteligente fora da terra, comecei a suspeitar que posso ser um deles. Mas como ainda não sei minha missão, continuarei aqui disfarçado, e claro vendo essa raça se matar. E pra não perceberem nada, eu vou aprender a chorar, mentir e farei de conta que acredito nestes tais “humanos”. Não me sinto mais revoluncionário, não acredito mais na revolução, nem num futuro melhor. 2006 me mostrou que a ESPERANÇA é a maior arma que o mal criou, fazendo todos clamarem por dias melhores, de braços cruzados esperando a ajuda dos ceús.

E se for possível esquecer 2006, talvéz eu mude de idéia também, portanto, desejo muito sangue, muito ódio, muita discórdia e claro muitas mentiras pra todos, que 2007 seja um ano repleto de guerras, de mães jogando filhos no lixo, filhos matando pais, ou seja, igual ao que passou ou pior.


.

terça-feira, dezembro 26, 2006

Say it Loud, I'm nigger and I'm proud!

Estou de pé como dizes;
Dizendo bem alto;
Tenho orgulho de ti;
Tal como "nossa" fé em Deus;
És intenso;
És corajoso;
És humano;
És eterno;
Viverás em nossa memória;
Deixo aqui um adeus
Deixamos aqui mais um à Deus;


Homenagem à James Brown
De 03/05/1933 à 25/12/2006

sexta-feira, dezembro 22, 2006

Férias ou INDUTO

Para alguns, o final de ano é motivo de festa, alegria e férias.
Para muitos, oriundos da miséria, férias é apenas mais uma palavra figurativa no dicionário.
A "crasse média" fica toda ouriçada com seu rico 13o. salário, as vendas aumentam, o comércio fatura e o velhinho barbudo da coca-cola faz a alegria de todos.
Não fossem as filantropias que acontecem na favela nesta época, seja ela praticada pelo trafico ou não, aliviam a molecada que é bombardeada pela idéia do "Natal Fraterno". É muito fácil tirar retrato do mundo perfeito, com neve, festas, peru, presentinhos e lindas mensagens. Porém, do outro lado do muro de chumbo, a neve derrete e vira enchente que lava e leva tudo, a festa é das estatística de homicídios, não há peru na cesta que o patrão distribui aos empregados, mas no dia seguinte sempre tem algum "presunto" esticado nas vielas, os fogos acionados por gatilhos ecoam alto mas não brilham no céu.
Reza a lenda que filho de ladrão só fica gordinho quando o pai tá na rua.
O induto, é concedido aos "bons meninos" que o papai noel escolhe para gozar de uma liberdade provisória durante a época de festas. O induto também oferece uma nova chance de deflagrar o místico efeito colateral da sócio-mediocridade brasileira. Circulo vicioso, muro de chumbo que cada vez fica mais estreito, o lado A e lado B estão quase sem fronteiras. A distribuição de renda do mundo cão é feita à mão armada, uma bela poesia onde o 13º do assalariado faz a vez de quem não tem nenhum salário o ano todo através do assalto.

Festas, tempo de alegria, confraternização e é claro... acerto de contas, quem é sabe e, a novela se repete: vários homicídios, assaltos e chacinas. Talvez isso fique claro depois do ultimo 15 de maio. O ódio tem vez no coração de quem nunca acreditou em papai noel, assim como a vontade de começar de novo e fazer tudo diferente, até que novas portas sejam fechadas.

Como eu sempre insisto, as portas só se abrem se você bater nelas. A favela tá cheia de inteligência e disposição, e não deveria criar somente pseudo-engenheiros sem diploma que desafiam a lei da gravidade nos morros com seus barracos voadores.

Sacrifício e fé nunca são em vão quando temos disposição, objetivo e determinação. Cada opção é uma opção, eu respeito, mas lamentação, sem chance. Temos cabeças pensantes que fazem o RAP, temos mentes brilhantes que burlam sistemas de segurança, temos artistas do cotidiano e economistas do caos que sobrevivem com nada e ainda conseguem tomar umas biritas no boteco.

Então este é o meu convite, (esteja você de férias, indulto ou nenhum do dois), um 2007 de tomada de posse, um 2007 de cabeça erguida, onde o primeiro passo se dá com a subtração do sentimento de automarginalização que carregamos, um 2007 onde possamos ocupar nosso espaço de direito, um 2007 que fortaleça a união pela união, não a união para o confronto (mas se tiver que ser...), um 2007 de reinvidicações, com ou sem gritos, pelo direito à vida, pelo direito a dignidade, pela possibilidade de sonhar. Um 2007 de muita coragem, de fé, um 2007 de basta a hipocrisia.



Um salve à todos,

Wil

terça-feira, dezembro 19, 2006

Tô pelas tampas, 91%, falta pouco!

Eu pensei em comentar. Os amigos me questionaram sobre o fato de postar no blog ou não. Entre o óbvio e a minha revolta sarcástica nacionalista eu escolhi o silêncio, melancólico e auto-destrutivo. Como diria aquela banda pop, indignação, indigna nação.
Se há algo de importante a destacar é o fator mudança. A terra não pára de rodar, todos os dias no mesmo horário ela está igual. Os meus pensamentos flutuam sempre entre o conhecido e o desconhecido, entre a dor da mudança que me lança ao futuro, talvez mais prospero, talvez mais fétido. Essa mesma dor é compensada pelo tesão do auto-conhecimento. Quem mexeu na porra do meu queijo, caralho?
Sem essa de auto-ajuda, por diversas vezes acreditei ser melhor a alienção, e ainda recorro a tal dúvida com certa frequencia.
Mas as minhas referências revoluncionárias também mudam, oscilam e até vacilam. Os valentes rebeldes se tornaram conciliadores. Os ponderados sensatos se tornaram derrotados e desertores.
Ninguém acredita em mais nada. E eu a cada dia confio menos nas pessoas, se eu precisasse me justificar, claro que a culpa não é minha, óbvio, sempre óbvio.
Ouvi alguém dizer outro dia que prefere a transformação interior individual a sonhar com uma mudança de consciência da massa. Na boa, no fundo todos pensam assim, pena que interpretam mal. A transformação interior se dá com a mudança do status quo externo, fútil e mesquinho, ela ocorre em detrimento ao próximo, nunca à favor do coletivo, afinal quem se sente inserido na podridão, ou melhor, se assume como tal.
Se você achou que eu estou desconexo, te dou uma pista... Abra os jornais e veja se estou fora do padrão.... heheheh
Predicativos, suposições, e blábláblás... Todos somos donos da verdade, das nossas...
Quer informação pra pensar? Ou quer tudo mastigado?
Se me achou sensacionalista e banal, recorra àquela dica...
É assim que padece a raça humana, no seu próprio dejeto.
Eis me aqui! E você? Ainda tem esperança? Acredita no futuro?

quinta-feira, dezembro 14, 2006

Inclusão periférica na marra. Será?

Para pesquisadores, produções culturais não precisam mais de legitimação do centro. Ivana Bentes, da UFRJ, diz que televisão, de forma "esquizofrênica", idealiza e criminaliza a periferia ao mesmo tempo.
Décadas depois de emergir como um dos focos da representação cultural da pobreza urbana brasileira, problematizada (e romantizada) pelo cinema novo e acolhida nacionalmente por meio do samba e da canção popular, a favela vem sendo reciclada e assimilada nos últimos anos pela generalização de um outro conceito -o de periferia.
A periferia não é mais a antiga favela pendurada no morro do Rio, associada a malandros, sambistas e cabrochas. Agora ela se espalha pelo país, produz rap, funk e outras ondas, e sua nova cara vai se desenhando no cinema, na TV, na propaganda, na música e na literatura.
Fonte: Folha de São Paulo on-line

--------------------------------------------------------------------------------------------

Na visão mercadológica, é mais do que óbvio que esta parcela da sociedade (bem expressiva por sinal) consome e também produz, mas sempre houve alguém de fora que intermediasse a produção e consumo lucrando muito com isso.

A tal falta de legitimação do centro é um movimento que pode ser notado inclusive nas urnas durante a eleição. É chegado o momento onde a classe média está tão perdida em seu mundo transitório entre a marginalidade periférica e a ilusão de ascensão social e fútil que não sabe o que pensar, quanto menos produzir o pensamento crítico e influenciar e/ou determinar o modus vinvendus como fazia.

A produção cultural que extrapola os limites do muro de chumbo invisível é inevitável. Ao passo que a autovalorização da cultura periférica gira a roda de consumo daquilo que é produzido na periferia, é inevitável que a grande mídia absorva isso, mas numa escala lucrativa menor.

A música popular toma o seu devido lugar. Os rótulos criados para os boleros de quinta, à base de violão e choradeira, da tal MPB irão cair, chega de mais do mesmo. Na música temos o elemento “crítica” com o RAP e o samba de raiz, o showbizz com os “sertanejos de butique”, o Calypso, o pagodinho mela-cueca, e o regionalismo com o forró e todas as misturas possíveis.

Nas artes plásticas, destaca-se o grafite como uma força de expressão muito distinta, e ainda mal interpretada. Na literatura, surgem talentos da “literatura marginal”, com o principal ícone, Ferrez. Na moda, é notável a identificação dos Manos e Minas com seu modo de vestir, mesmo que copiado dos gringos, porém adaptado às nossas condições e costumes.

Se questionarmos onde tudo isso encontra suporte, a resposta é categórica: Hip-Hop.
Mas para os acadêmicos oriundos da classe média, HipHop não passa de um estilo musical, confundindo-se com o RAP e os experimentos de misturas de ritmos.

A grande mídia deu um sinal enorme de que não tem como barrar as produções culturais da periferia ao exibir em três blocos da maior revista televisiva nacional, o Fantástico, o documentário “Falcão – Meninos do Tráfico”, um cross-media lançado como longa metragem, livro e trilha sonora própria. Pode parecer mais uma tentativa frustrada de cutucar o inconsciente popular, como já vimos no cinema novo, onde o retrato da vida periférica e miserável é explorado e tido como fictício e romântico para a classe média, mas a denúncia social está aí estampada na cara de todos.

Essa mesma classe média tenta se afastar da periferia nos seus belos condominios de luxo, tendo apenas dois focos de relacionamento com a periferia. O primeiro foco é o de vítima da violência urbana, praticada pelos periféricos. O segundo é a eterna relação servil, patrão e empregado. Nem vou considerar a filantropia patética dos esnobes que não querem saber dos problemas da periferia. Periferia esta, que não pára de crescer e ganhar espaço e participação na sociedade. E este espaço representativo e por que não “democrático”, em parte tem um aval simpático do presidente da república, mas ainda é muito pouco.

Os acadêmicos ainda tentam colocar o movimentação da cultura periférica dentro da grande mídia, como um “assalto”. Errado! A cultura dos morros e favelas sempre existiu e foi consumida ali mesmo. O que a grande mídia faz é apenas aproveitar o inevitável pra gerar mais receita, ou não perder a "boquinha". No inconsciente popular, aparecer na TV é uma forma de ascender, mesmo sem alicerce algum, para uma vida melhor, com grana, fama e um relativo respeito. Para citar exemplos, todos os rappers que se meteram com a grande mídia, ganharam uma parcela da grana que geraram, mas nem tudo pode ser dito na TV, e em seguida essa mesma grande mídia abandona o artista para explorar outro. Marcelo D2 que o diga.

Pra variar é a massa pela massa, de certa forma inconsciente, mas é a contra-partida da invasão da mídia, a qual corrompe as almas dos periféricos pelo consumo de produtos que não poderiam usufruir devido ao seu aporte financeiro. Causa primária dos delitos dos "Falcões"...

Eis o momento de invadir a grande mídia com o que a periferia produz, sem aval nem financiamento do “centro”. E claro o centro continua lucrando, porém a pirataria e o avanço dos meios de comunicação, inclusive Internet, suportam o desenvolvimento cultural auto-sustentável da periferia que não sabemos até quando permanecerá tolerante com os abusos e imposições consumistas dos mais favorecidos.

Deixo aqui o meu convite para o entendimento da cultura HipHop... sem profecias, mas com muito orgulho.

quarta-feira, dezembro 13, 2006

Estética patética!

A Academia Runner, em São Paulo, criou um outdoor que dizia o seguinte: "Neste verão, você quer ser sereia ou baleia?"

Uma mulher enviou a eles a sua resposta e distribuiu o seguinte e-mail por aí:

- "Ontem vi um outdoor da Runner, com a foto de uma moça escultural de biquíni e a frase:

"Neste verão, você quer ser sereia ou baleia?"

Respondo:

Baleias sempre estão cercadas de amigos.
Baleias têm vida sexual ativa, engravidam e têm filhotinhos fofos.
Baleias amamentam.
Nadam por aí, cortando os mares e conhecendo lugares legais, como as banquisas de gelo da Antártida e os recifes de coral da Polinésia.
Baleias têm amigos golfinhos. Comem camarão à beça. Esguicham água e brincam muito.
Baleias cantam muito bem e têm até CDs gravados.
São enormes e quase não têm predadores naturais.
Baleias são bem resolvidas, lindas e amadas.


Sereias???

Sereias não existem.
Se existissem viveriam em crise existencial: - "Sou um peixe ou um ser humano?"
Não têm filhos, pois matam os homens que se encantam com sua beleza...
São lindas, mas tristes e sempre solitárias...

- Runner, querida, prefiro ser baleia!"

A Academia Runner retirou o outdoor.

Comentário pessoal: Eu creio que a estética seja importante sim, porém apenas mais uma das diversas características e valores que temos enquanto pessoa. O cuidado com o corpo e com o visual pode lhe conferir o status de que você sabe cuidar bem de si, que se ama. Mas o exagero, e sempre o exagero, é sintoma de deficiência em outras caracteristicas e valores pessoais e pode caracterizar uma pessoa como "FÚTIL". Atividade física é importantíssima, desde varrer a casa até caminhar pra chegar à padaria... porém somos bombardeados pelas imagens de mulheres andróides na TV, como se apenas elas fossem gostosas, com sua mínima cinturinha, abdome tanquinho, bundão, peitão e aqueles cabelos esticados (eis a atividade física dos cabelereiros de plantão, hahah). Particularmente, acho as baleias mais gostosas, verdadeiras e donas de si...

sexta-feira, dezembro 08, 2006

Quem tem medo do lobo mau?!

Segue o copy/paste de uma matéria veiculada no USA Today em 10/11/2006.

Título da matéria: "
EUA devem retomar treinamento de militares na América Latina"

Até aqui nada muito bizarro... Porém eu destaquei algumas partes do texto:

"Uma preocupação com vitórias da esquerda na América Latina levou o presidente Bush a discretamente dar permissão para os EUA voltarem a treinar militares de 11 países da América Latina e Caribe.O governo espera que o treinamento crie laços com países na região e enfraqueça a tendência à esquerda. "

"A proibição de fornecer treinamento militar foi originalmente formulada para pressionar os países a isentarem os soldados americanos de julgamentos de crimes de guerra. A lei americana de 2002 proíbe os países de receberem assistência militar e treinamento caso se recusem a dar imunidade aos membros do serviço militar americano que de outra forma poderiam ser levados à Corte Criminal Internacional."

"A China ocupou o espaço. Ruiz disse que a China "procurou todos os países da região de nossa responsabilidade", trocou militares de alta patente com Equador, Bolívia, Chile e Cuba e forneceu assistência militar e treinamento à Jamaica e à Venezuela."

"Esforços estão sendo feitos para que as verbas sejam transferidas neste ano e o treinamento de oficiais estrangeiros dos países aprovados seja iniciado no próximo ano. O treinamento será conduzido nos EUA.
Países elegíveis: Barbados, Bolívia, Brasil, Costa Rica, Equador, México, Paraguai, Peru, São Vicente e Granadinas, Trinidad e Tobago e Uruguai. "

Até este momento, o Hugo Chaves não tinha sido reeleito, e agora?

Quer comprar GASOSA ???

Pró-álcool, bio-diesel, GNV, energia nuclear, gasolina batizada, mijo... Seu carro é flex? À gás?
Ou você só anda de bumba?

Sabe por que eu odeio o Bush?
Por que ele quer a gasosa só pra ele... CAPITALISTA MALDITO!!! hehehe

Sabe por que eu adoro o Chaves?
É simples, a gasosa dele custa só 7 cents o litro...
Será que é por isso que o Bush não gosta dele? Sei não....

Dê uma olhadinha no carro ao lado, será que ele está indo para o Brasil?

Isso é só uma suposição. Que venha o tal ministro MANTEIGA explicar e me convencer por que que pagamos R$2,50 no litro da pior gasolina do mundo, e claro, me convença de que a Petrobrás é estatal. hahahahahha

Ah, desconsidere a carga tributária e o destino desses impostos... Isso é pano pra outra manga (rosa)!

quarta-feira, dezembro 06, 2006

Cuba libre... pero cubanos en el libre país.. NO!

Os cinco cubanos, ou os "CINCO DE MIAMI", presos nos Estados Unidos por espionagem, são condenados à prisões perpétuas PLUS 10 anos ou mais... Insano? Em troca o FBI ganhou informações sobre ataques terroristas, mas gratidão nunca foi uma virtude comum entre os estadonidenses.

Insano sou eu... Fidel lutou por uma Cuba Livre (não aquela que é feita com a tal COKE!), e os seus inimigos cansam de se auto proclamar como um país que presa pela liberdade. No final das contas quem luta por ela vai em cana (JAIL!).

Sem contar que os julgamentos por lá parecem prova de QI para macacos. Eu me sinto completamente incapaz de compreender, mas eu sou apenas um latino periférico que até um dia desses nem imposto de renda pagava, deixe prá lá... Mas claro, o insano sou eu! hehehe (Loco, loco bien loco!)

Creio que o supra-sarcerdote, ex-Drunk(?!) e ainda "World Police Lead" é tão cristão que já condena os seus inimigos por mais de uma encarnação (precavido, não?!).... Vai que essa história do Allan Kardec é verdade mesmo?! Se for, o Fidel poderá até nascer outra vez. GWB caga nas calças, pois num corpo humano sempre tem um orificio fedido, e dizem por aí que por isso mesmo é que ele também sente medo.
Nessa ótica daria pra afirmar onde o tal Lucifer renasceu... não, não foi no oriente médio, mas que ele tem uma queda quase que mortal pelo oriente médio, ah isso ele tem.

Mas insanamente dizendo... é lá mesmo, no Oriente Médio, que a casa dele vai cair.
E tomara que essa queda seja mortal, sem chances de reencarnar.

Coincidências

Depois que um piloto estadunidense foi preso por desacato, surge o papo no jornal deles de que o presidente aqui é manguaça, um verdadeiro DRUNK.
Depois de fazer merda no ar e matar mais de 100, e o único álibi ser a deficiência do controle aeroviário, tudo que poderia dar errado no controle aereo brasileiro acontece, um atrás do outro.
De repente o problema com atrasos nos aeroportos passa a ser o foco central das organizações globais, até o caceta&planeta cansou de fazer piadinhas.
Na TV vejo um sociologo dizer que é o fim do mundo, o caos das intituições públicas, blah, blah, blah....

Adoro coincidências !!!! hahahahah

segunda-feira, dezembro 04, 2006

Tio Bill Gates que se cuide

Novos índices apontam para desafios que a Microsoft terá de vencer para continuar liderando o mercado de software para usuários finais.

O primeiro fator é o desenvolvimento das ferramentas de ODF (Open Document Format standard). O padrão de documentos abertos está criando a possibilidade dos usuários de criar, exibir e editar documentos de texto, planilha e apresentaçãoes compatíveis com o pacote Office da Microsoft ou o OpenOffice gratuitamente.
A próprio google oferece a ferramenta Docs & Spreadsheets, a qual permite você armazenar tais documentos nos próprio site da google, ficando disponível em qualquer lugar que haja conexão com a internet. As ferramentas de download e upload são muito fáceis de utilizar e as operações básicas de edição de textos e planilhas permitem que você faça todo o seu trabalho apartir do browser.

O segundo fator é o aumento da utilização do browser FireFox (que vc pode baixar aqui mesmo).
Na guerra da preferência entre os navegadores para Internet, o Firefox segue conquistando novos adeptos e chega a 13,5% do mercado, depois de seis meses de altas consecutivas.


Abre o olho tio BILL !!!!

quinta-feira, novembro 30, 2006

BOICOTE AO FILME 'TURISTAS'


Estou aqui para iniciar uma campanha em massa, e conto com vocês, para BOICOTAR integralmente o filme americano TURISTAS, que estréia lá em 1o de Dezembro e aqui em Janeiro ou Fevereiro, distribuido pela Paris Filmes.


Para quem não sabe, o filme conta a história de 6 jovens americanos que vêm ao Brasil de férias. Chegando aqui tomam uma caipirinha com 'boa noite cinderela', são assaltados, sequestrados, torturados e por fim têm os órgãos roubados por traficantes da industria negra dos transplantes. Alguns morrem e mesmo os que sobrevivem não têm um final feliz. O filme é classificado como TERROR, comparado ao filme 'O Alberge', e a EMBRATUR já está tão preocupada com a péssima repercussão do filme lá fora que, temendo uma queda brusca na receita do país vinda do turismo internacional, já está preparando campanhas intensas para serem veiculadas lá fora e tentar minimizar os estragos.
Façamos então a nossa parte. Vamos fazer deste absurdo, pelo menos aqui no Brasil, um fracasso total de bilheteria.
NÃO ASSISTAM, NÃO DÊEM $$$ A UMA PRODUÇÃO QUE SÓ VISA DENEGRIR NOSSA IMAGEM.
Só pra se ter uma idéia, o trailer começa com a frase: 'Num país onde vale tudo, tudo pode acontecer!!!'

----- VEJA O TRAILLER ------




PS - para quem quer saber mais.

sexta-feira, novembro 24, 2006

8ª Festa do Livro da USP

ESTIMULO A LEITURA
VIII Festa do Livro da USP será realizada na FFLCH


Período: 22/11 a 24/11 das 9h ás 21h

Local: Prédio dos Departamentos de Geografia e História/FFLCH - Cidade Universitária - São Paulo/SP

Obs.: Veja a relação de editoras deste ano!

USP Online

Com o intuito de ampliar o acesso do público universitário ao livro, a Edusp, com apoio da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP, realiza de 22 a 24 deste mês a VIII Festa do Livro da USP.
Estarão presentes mais de 100 editoras, comercializando seus livros com descontos de 50% ou mais. O evento acontece no pátio da Geografia/História, das 9h às 21h, na avenida Professor Lineu Prestes, 338, Cidade Universitária, São Paulo.

Informações pelo telefone: (11) 3091-1617

terça-feira, novembro 14, 2006

Dia da Consciência Negra




O que é o dia da Consciência Negra?

Esse dia representa primeiramente o aniversário de ZUMBI DOS PALMARES, o ilustríssimo negro que lutou pelos seus irmãos numa época muito diferente da nossa e bateu de frente com as injustiças humanas, mesmo sendo considerado pela sociedade um animal quadrúpede.

Zumbi dos Palmares, nasceu no ano de 1655 em uma das aldeias do Quilombo de Palmares, foi feito prisioneiro ainda recém nascido, e entregue ao Padre Antônio Melo da freguesia de Porto Calvo, foi batizado com o nome de Francisco, foi coroinha, estudou latim e português, em 1670 fugiu da paróquia para Palmares onde se tornou o grande líder após ter passado por grandes provas de coragem. Era corajoso e tinha grande capacidade de organização e comando, tornou-se um mito entre os negros.

Sua consciência negra o levava a lutar não pela sua liberdade e sim pela liberdade de todos os negros e índios que viviam em Palmares.

Ter consciência negra significa compreender que somos diferentes, pois temos mais melanina na pele, cabelo pixaim, lábios carnudos e nariz achatado, mas que essas diferenças não significam inferioridade.
Ter consciência negra, significa que ser negro não significa defeito, significa apenas pertencer a uma raça que não é pior e nem melhor que outra, e sim, igual.

A nossa maldita mídia sempre transforma um Preto Tipo A num neguinho. A adoção de traços polêmicos no rap torna pública a transformação ocorrida na postura do negro. O negro jovem constrói seu próprio estereótipo; e sua música assume a tensão como alternativa discursiva, negando duplamente a cordialidade construída pelo mito da democracia racial.

O manifesto exige uma indenização pela exploração da mão-de-obra escrava, com vista à aplicação em ações afirmativas como a construção de universidades voltadas para pesquisas das questões étnicas; de uma imprensa de mesma orientação; e um banco que gerasse e gerisse recursos para sua sustentação.
Defende a instalação do "Poder Negro" contrapondo-se às ações integracionistas do negro na sociedade estruturada e regida por brancos, "Poder Branco". Privilegia a busca da africanidade, destacando a importância da experiência da conquista de independência dos países africanos. O conflito étnico não foi resolvido, mas a obscuridade do mito da democracia racial não encontrou acolhida naquela sociedade.

A tensão do enfrentamento não foi assimilada no Brasil. O modelo de negro bem-sucedido entre nós ainda mantém vínculos estreitos com o integracionismo.

Se adequa ao mundo que lhe é imposto pela ideologia do branqueamento, que sustenta a imagem do negro manemolente, sorridente. Era tarefa dos negros lutar por uma adequação material e reconstruir sua identidade. A discussão das questões raciais alcançaram um alto grau de elaboração em nosso país, porém restrita a militantes ou à intelectualidade.

Enquanto população, o negro continua situado no hall da miséria. Poucos ascenderam socialmente; destes, a mínima parte discute ou pratica a Negritude."

Destes negros que ascenderam socialmente, a grande maioria se dá não só pelo talento e inteligência e sim pelo marketing da mídia que se utiliza de um instrumento poderoso, a hipocrisia. Atletas, músicos (generalizando! Já que alguns não sabem nem o próprio nome.), artistas, etc. Isso acontece por que a falta de consciência e articulação gerada pela miséria garante o deslumbramento da sociedade capitalista. Qual moleque negro que não sonha em ser jogador de futebol ou pagodeiro, ter dinheiro e as "mulheres" ao seu redor?

A consciência negra não sugere uma revolução armada, e sim uma mudança de atitude, baseada na informação e articulação das mentes que podem transformar a sociedade.
Os valores são igualdade, justiça e paz.

Há alguns anos, ouvi um grupo de negros fazendo o melhor RAP que representa a consciência negra, uma música chamada "NEGRO LIMITADO" (Racionais MC's), essa letra traduz tudo que tentei escrever, ou seja, antes de se colocar no papel de negro rejeitado e discriminado, o negro precisa se enxergar e ter seus valores, pois cobrar a sociedade é fácil, ter atitude própria e articulação suficiente para exigir seus direitos é diferente.

Justiça, Igualdade, União e Paz, não são esmolas, são conquistas, são nossos desafios.

Outro Negro muito famoso um dia falou: - Enquanto a cor da pele for mais importante que o brilho dos olhos, no mundo haverá guerra! (Não sei se a frase seria exatamente essa, mas foi o que eu entendi dela).

quinta-feira, novembro 09, 2006

Saiba onde pisar

Chiapas: Centro Zapatista
Chiapas é um estado pobre, com uma população de 4.255.790 habitantes, composto por 90% de índios com grande diversidade lingüística de origem maia (chol, tojolabal, tzeltal, tzotzil, mam e lacandón).

Um povo marcado pela exploração e pela opressão de brancos europeus, que resiste para que sua cultura, língua e costumes não sejam extintos pelo fato do governo federal não garantir os direitos constitucionais indígenas.

Todo o movimento encontra-se em Alerta Vermelho pelo fato de Oaxaca estar imersa em grande crise e porque o futuro deste estado trará conseqüências a Chiapas. Isto quer dizer que todas as organizações zapatistas estarão fechadas para informações e visitas até segunda ordem dos comandantes.

Início do EZLN, os MARZ e as Aguacalientes
O nascimento oficial do Exército Zapatista de Liberación Naciol - EZLN, deu-se no dia 17 de novembro de 1983, quando seis insurgentes (cinco homens e uma mulher) instalaram-se na Selva Lacandona (Chiapas) com o objetivo de iniciar um movimento revolucionário. Durante dez anos, o Exército Zapatista organizou-se de forma explosiva: aprendizagem de táticas e estratégias militares, manuseio de armas de fogo, recrutamento de combatentes, formação política.

No ano de 1993, o movimento passou a ser conhecido mundialmente. Às 24 horas do dia 31 de dezembro do mesmo ano, o EZLN ocupou diversas entradas e saídas de cidades e tomou dois grandes quartéis militares do Estado de Chiapas, iniciando uma guerra contra a organização social vigente e pela soberania dos povos indígenas. O ato desencadeou-se sob a desprevenção do Governo Federal que estava preparando a entrada em vigor do Tratado de Livre Comércio da América do Norte.

O surgimento dos Municípios Autônomos Rebeldes Zapatistas – MARZ - deu-se após a tomada de algumas cidades, paralelamente ao processo de independência dos poderes oficiais. Nasceram, assim, novos poderes com diferente forma de organização.

Em 1994, o EZLN teve a tarefa de construir espaços para facilitar o contato político e cultural com a sociedade civil a fim de difundir o ideal zapatista e amplificar o alcance dos futuros trabalhos a serem realizados. Logo de imediato, o Exército Federal avançou sobre as posições zapatistas e tomou a comunidade de Guadalupe Tepeyac, destruindo-a e construindo ali um quartel general.

Em 1996, porém, o EZLN convocou a sociedade civil a fundar novos aguascalientes como forma de resistência e rebeldia popular, iniciando assim a transmissão da responsabilidade pela luta a todos os moradores de Chiapas, delegando-lhes a construção da revolução no país.

Nasceram, assim, 5 aguascalientes: Aguascalientes I (La Realidad), Aguascalientes II (Oventic), Aguascalientes III (La Garrucha), Aguascalientes IV (Morelia) y Aguascalientes V (Roberto Barrios), todos empenhados na organização de iniciativas zapatistas de diversas naturezas, como o Primeiro Intergalático, Fórum Especial para a Reforma do Estado, Fórum Nacional Indígena, Primeiro Encontro Americano contra o Neoliberalismo e pela Humanidade, Encontro Nacional de Comites Civis para o Diálogo Nacional.

Caracóis, Juntas de Bom Governo, a Sexta Declaração e a Outra Campanha
Após profunda reflexão, ao verificar um vácuo entre as aguascalientes e os 27 MARZs e também o distanciamento da ação em relação à sociedade civil mexicana e internacional, o EZLN celebrou nos dias 8, 9 e 10 de agosto de 2003 o nascimento dos primeiros Caracóis e suas Juntas de Bom Governo, em substituição às extintas aguascalientes. Os Caracóis são pequenos estados regionais que agrupam entre dois e sete municípios autônomos cada, com o objetivo de tornarem-se centros civis do movimento zapatista. A competência das Juntas passou a ser implementar programas de produção de comida, saúde, educação, através de deliberações realizadas em assembléias com a participação de toda a população.

Em 28 de junho de 2005, o EZLN tornou pública a Sexta Declaração da Selva Lacandona, que teve por objetivo realizar o levantamento histórico do movimento, apontar suas diretrizes, chamar os trabalhadore do campo e da cidade, os estudantes, professores, crianças, jovens e idosos, todos os mexicanos, desde que fossem de esquerda, anticapitalistas e antineoliberais, para, em conjunto, elaborar uma proposta não eleitoral, levantar os anseios populares e positivar uma nova constituição. Na sexta declaração, há uma forte crítica ao sistema capitalista e suas conseqüências sociais. O movimento estende a necessidade de lutar pelos direitos dos índios a todas as minorias. A partir do dia 1 de janeiro de 2006, o EZLN iniciou a marcha conhecida por Outra Campanha, que percorre os 31 estados do México. Os comandantes encontram-se, hoje, no norte do país, dando continuidade à passagem que foi realizada no sul e centro do México.

A grande diferença do movimento zapatista é a sua organização horizontal, sem hierarquias e uma grande rotatividade nas cadeiras de seu governo. Não há eleições, nem propagandas políticas, apenas escolhas por parte das Assembléias. O poder das mulheres é igual ao dos homens (47% dos que compõe os 100 zapatistas do Comite Clandestino são do sexo feminino. Este comitê é a instância superior do EZLN, no qual se reúnem os comandantes e comandantas). A divisão do trabalho é decidida por todos, e os meios de produção são do coletivo. É um movimento que não luta pelo poder, mas constrói espaços paralelos ao Estado oficial.

Leia o especial LATINAUTAS, com a íntegra dos relatos e comentários sobre a expedição "Da América para as Américas". (Leia aqui)

terça-feira, novembro 07, 2006

OAXACA

Em solidariedade ao povo de Oaxaca e em memória a Brad Will, diversos protestos surgiram ao redor do mundo em menos de 72 horas. Somente na segunda-feira, 30 de Outubro, ao menos 14 cidades americanas aderiram ao protesto. Em Nova Iorque, cerca de 11 manifestantes foram detidos. Na Europa, protestos ocorreram em Londres e em
Barcelona o Consulado do México foi ocupado. No Brasil, manifestações estão sendo convocadas em diveras cidades: Rio de Janeiro, Fortaleza.

Historicamente Oaxaca é a terra dos Zapotecas e Mixtecas. Um dos maiores heróis nacionais mexicanos, Benito Juárez era oriundo da povoação oaxacana de San Pablo Guelatao. Outros filhos famosos do estado incluem Rufino Tamayo, Porfirio Diaz, José Vasconcelos, Francisco Toledo, María Sabina, Alberto Canseco e Vinny Castilla.

Acompanhe toda a cobertura minuto a minuto no site do CMI http://www.midiaindependente.org/

quarta-feira, novembro 01, 2006

Réu ou testemunha?

Ontem no Jornal da Globo me indignei novamente e tive que dormir com raiva. A mídia é tão rídicula que não quer mais dar a notícia, querem ser a própria noticia. Na Folha, um retrato ampliado do que é nossa grande mídia e como ela se pretende acima da lei e da Constituição. Com a chamada de primeira página “Jornalistas dizem ter sido intimidados ao depor na PF”, a matéria começa descaradamente ligando o convite a repórteres da Veja com as declarações do presidente reeleito e do presidente do PT.

Essa mesma mídia, que apoiou e aplaudiu todo tipo de arbitrariedade das CPIs, do Ministério Publico e da Polícia Federal quando se tratava do PT, agora, sem nenhuma razão, levanta-se contra uma medida corriqueira de um inquérito policial, o depoimento. A PF diz que não houve nenhuma irregularidade e que os depoentes não “manifestaram contrariedade ou discordância”. Vale lembrar que os jornalistas estavam sendo interrogados na condição de testemunhas.

Essa mídia, acostumada com a impunidade e com a violação da lei, quer ficar acima da lei e da Constituição. Quer carta livre de corso, para atingir a honra alheia e violar os direitos individuais. Se há um ministério que o Brasil deveria ter é o ministério da inquisição dos profissionais de mídia. Enquanto isso, em Oaxaca o pau ta comendo e essa mídia escrota ao menos dá atenção.Se nem a própria mídia sabe qual o seu papel, imagine se eles entendem o conceito de liberdade de expressão. Marx se contorse dentro do caixão e eu continuarei excretando por aqui... Merda por merda, confio mais nas minhas.

Papillon Brazuca

Um dos presos por envolvimento no assalto ao Banco Central em Fortaleza, Jean Ricardo Galian, 28, conhecido como Gordo, disse que parte dos R$ 4,9 milhões que recebeu pelo furto foi gasto no pagamento de resgates para ficar livre de três seqüestros.

O assalto ao Banco Central de Fortaleza foi em agosto do ano passado. Foram levados R$ 164,8 milhões da caixa-forte do banco, por meio de um túnel de 80 metros.

O líder Fernandinho comandava todas as ações na casa onde foram feitas as escavações do túnel.

Fernandinho foi morto em outubro do ano passado, após ter sido seqüestrado e ter pago resgate. Policiais estiveram envolvidos no caso.

Em outro caso famoso, Fernando Dutra Pinto, o sequestrador da filha do Silvio Santos também teve um final tráfigo e nebuloso. Assaninado por policiais civis, também deixou no limbo o produto de seu crime, o resgate que o Silvio Santos pagou.

É por essa e por outras que eu afirmo que o "Leão" também trabalha no mercado paralelo. O faturamento dos ladrões, sequestradores e traficantes, inevitavelmente passa pela cunho do estado, seja através das inversões de papéis dos profissionais de segurança pública ou nos bastidores da nossa inabalada justiça.

No final das contas, o verdadeiro profissional é o ladrão. E o bandido... preciso mesmo citar?

terça-feira, outubro 31, 2006

Novo disco do JAMIROQUAI!!!

Jamiroquai lançou novo single, entitulado Runaway, em 30 de outubro. É o principal single oferecido em seu novo album ‘High Times – Singles 1992 -2006’, uma coletânea de singles a qual contém 16 grandes hits da extraordinária carreira do Jamiroquai que aparece com duas novas músicas que serão lançadas pela Columbia Records no próximo dia 6 de novembro.
Uma fatia do clássico Jamiroquai, com o brilho e swing da disco music e um linha poderosa de baixo, ‘Runaway’ é a primeira das duas faixas inéditas neste primeira compilação de hits do Jamiroquai – a segunda faixa é o funk excêntrico, afiado e forte de "Radio" – mais uma vez prova que o Jamiroquai ainda não perdeu o gás.
São 15 anos desenvolvendo, e levando o ACID JAZZ ao Top 10 debut, a canção Too Young to Die, e a politicamente engajada Emergency On Planet Earth, e através dos principais hits globais tais como Cosmic Girl e Virtual Insanity, até o resplandecente estilo "disco" de Little L, Canned Heat e Love Foolosophy, batem em primeiro lugar esmagando com Deeper Underground.
High Times – A coletânea de singles é um oportuno lembrete da força e profundidade do portfolio Jamiroquai. Numa época que os albuns 'Greatest Hits’ significam até 4 ou 5 faixas inéditas (um monte de enche linguiça), o novo albúm atesta quanto tempo o tão apreciado Jamiroquai esteve no topo.
Depois de 159 semanas na lista de melhores singles Ingleses, 232 semanas listado com melhor álbum, mais the 20 milhoes de álbuns vendidos e cinco turnês mundiais – tocando para mais de 5 milhoes de pessoas em 38 paises – e mesmo já tendo faturado 5 MTV awards, o Grammy e o prêmio Ivor Novello, é correto dizer que, Jay Kay, com seus 37 anos de idade (popularmente conhecido com o Jamiroquai), é um dos 5 maiores músicos ingleses em número de venda de discos dos últimos 20 anos.

Uma edição especial do disco também estará disponível para os fãns, contendo vários remixes, incluindo o classico David Morales remix da música Space Cowboy. Um DVD de todos os vídeos já feitos pelo Jamiroquai (sacanagem... eu já tinha feito isso por conta própria) será lançado simultaneamente pela Columbia Records - que trará faixas extras e hits não incluídos no CD como ‘Stillness In Time’ e ‘Half The Man’
Além do seu investimento no mundo da música, Jay Kay também tem tido tempo para desenhar uma nova linha de roupas para a grife Hugo Boss chamada Jay Kay For Hugo, nas lojas no próximo outono.


Tracklists do CD, CD Special Edition e DVD seguem abaixo:

CD
-When you gonna learn
-Too Young To Die
-Blow Your Mind
-Emergency On Planet Earth
-Space Cowboy
-Virtual Insanity
-Cosmic girl
-Alright
-High Times
-Deeper underground
-Canned Heat
-Little L
-Love Foolosophy
-Corner of the earth
-Feels Just Like It Should
-Seven Days In Sunny June
-(Don't) Give Hate A Chance
-Runaway
-Radio

CD - Special Edition (including Bonus Remix CD)
-When you gonna learn
-Too Young To Die
-Blow Your Mind
-Emergency On Planet Earth
-Space Cowboy
-Virtual Insanity
-Cosmic girl
-Alright
-High Times
-Deeper underground
-Canned Heat
-Little L
-Love Foolosophy
-Corner of the earth
-Feels Just Like It Should
-Seven Days In Sunny June
-(Don't) Give Hate A Chance
-Runaway
-Radio

Bonus Remix CD
-Emergency On Planet Earth (Masters At Work Remix)
-Space Cowboy (David Morales)
-Love Foolosophy (Knee Deep Remix)
-Little L (Bob Sinclar Remix)
-Cosmic Girl (Tom Belton Remix)
-Dynamite (Phil Asher Remix)
-Seven Days In Sunny June (Ashley Beedle Remix)
-Virtual Insanity (Salaam Remi Remix)
-You Give Me Something (Blacksmith R&B Remix)
-Jamiroquai Supersonic (Restless Souls /Phil Asher Remix)

DVD
From the album Emergency On Planet Earth
-When You Gonna Learn
-Too Young To Die
-Blow your mind
-Emergency On Planet Earth
-If I Like It I Do It
From the album The Return Of The Space Cowboy
-Space Cowboy
-Half The Man
-Light Years
-Stillness In Time
From the album Travelling Without Moving
-Virtual Insanity
-Cosmic girl
-Alright
-High Times
From the album Synkronized
-Deeper underground
-Canned Heat
-Supersonic
-King For A Day
-Black Capricorn Day
From the album A Funk Odyssey
-Little L
-You Give Me Something
-Love Foolosophy
-Corner of the earth
From the album Dynamite
-Feels Just Like It Should
-Seven Days In Sunny June
-(Don't) Give Hate A Chance
Bonus Area (VIP area/Behind The Music Videos)
Making Of's for:
-Little L
-4 x 8 mins clips from Charlie Lightening
-Charlie Lightning Mini-Film


Assista ao Runaway Video


quinta-feira, outubro 26, 2006

Perguntar é mais fácil


O que você quer? Ricos governando em nome dos ricos, com falsas promessas para os pobres?
Continuidade de um governo vassalo dos estadunidenses?
Um governo que criminaliza os movimento sociais? Um governo que desmantela o patrimônio público pela privatização de empresas estatais?

Ou você prefere um ex-operário que acha que está governando pelos pobres, mas que continuará eternamente subordinado aos ricos?
Um governo que assopra as feridas do povo sem curá-las?
Um governo impotente com a máquina extorsiva do mercado globalizado?
Um governo que acredita na força do Estado sem abrir mão da dinâmica predatória anglo-saxônica?

Ou será que você sonha com um choque de gestão? Quem sabe com um bloco Sul-Americano revoluncionário, a patotinha do "conosco no se fodosco"?

Ou você sonha que seus filhos e netos um dia serão capazes de compreender os indices e gráficos exibidos pelos candidatos nos debates? Ou você espera simplesmente ter um salário melhor pra bancar a escola particular, o plano de saúde e o entretenimento dos seus filhos?

Você se dá conta das mudanças economicas ao comprar o arroz e feijão ou quando percebe o juros do cheque especial?

Já parou pra pensar sobre projeto ideológico?
Ou seus questionamentos não ultrapassam as suas necessidades particulares?

Alguma vez já discutiu política na sua casa com a sua família? Com seus vizinhos? Amigos? Se eu trocar a palavra "política" da pergunta por "Seleção Penta campeã", a sua respota inverte?

Qual importância a política tem na sua vida prática? Ou você só lembra que isso existe quando acaba a copa do mundo?

Você é do tipo que reclama, esbraveja, mas nunca tomou atitude alguma? Você compreende a relevância que seu voto tem? Você condena os protestos? Crê que os Sem-Terra, Sem-Teto, Se-PorraNenhuma é um bando de folgado?

Já botou na balança as possíveis mudanças que poderiam haver em cada cenário, ou seja, é possível supor como serão as coisas com o presidente A ou B ?

Já ponderou as mudanças que aconteceram nos ultimos 4 anos da sua vida? Já pensou em sair do país? Em comprar um celular com camera ou uma TV de plasma?

Ainda tem fé na ética jornalistica? Continua acreditando no JN e no Jabor? Na sua opinião o Jô Soares é um ícone da intelectualidade brasileira?

O que é mais importante? O tal dossiê ou a grana? Escândalos ou justiça aplicada?

Você seria feliz se não existisse copa do mundo, carnaval e dezenas de feriados por ano?

O estilo de vida estadunidense ainda de encanta? Pra você sucesso é dinheiro e consumo?

Você ainda tem fé em dias melhores?

Você aprendeu na escola o que significa democracia representativa republicana, sabe qual o papel de um presidente, senador, deputado? E o papel da mídia?

Você continuará se questionando na próxima semana, depois das apurações dos votos? Porque?

Então escolha o que é melhor para você, ou para a sua familia, ou para os seus amigos. Ou seja mais um sonhador, vote pelo bem comum, pela maioria, pelo futuro... E se te enganarem novamente? Ah...Você só terá tais respostas se entender como e por que te enganaram, e pra isso, a sua inércia precisa ser quebrada!


Hasta La Victoria, siempre!!!

quarta-feira, outubro 25, 2006

Manifesto por uma Mídia Democrática e Independente

MANIFESTO POR UMA MIDIA DEMOCRÁTICA E INDEPENDE. O manifesto foi construido por alguns intelectuais brasileiros e denuncia, com base nos dados do Observatório Brasileiro de Midia para a última semana da campanha eleitoral, o comportamento da grande mídia. A assinatura é online e contamos, em apenas dois dias úteis após o lançamento do manifesto, já com mais de 250 asssinaturas, e alguns nomes importantes no cenário intelectual do país, como a professora Regina LInhares, do coneselho federal de educação e da UNB, o professor titular Giuseppe Cocco da UFRJ, a professora livre docente Walquiria Leão da Unicamp, além de muitos outros nomes. Esperamos contar com o apoio de vocês para divulgação. O link é:
O manifesto foi traduzido para o francês e o inglês para divulgação no exterior.

Fonte: Lista cmi-campinas
cmi-campinas@lists.indymedia.org
http://lists.indymedia.org/mailman/listinfo/cmi-campinas

TEOLOGIA DO ÓDIO

O CAFAJESTE X O TOLO

Um exame histórico-religioso da farsa do século no Brasil


Uma armadilha... Nestes anos em que se chocou o ovo da serpente, os brasileiros foram convencidos a acreditar que Geraldo Alckmin fosse apenas um moço tímido do interior, meio tolo, mas de boa índole.

A história do "picolé de chuchu", comprada inocentemente pelas esquerdas, emprestou consistência à tese.

Do ponto da luta pelo poder, a estratégia dos setores reacionários sempre tem sido clara no sentido de arrebanhar adesões nos segmentos "médios" do eleitorado, mais especificamente no centro do espectro político. Para isso, fugiram da tentação ao explícito: evitaram a candidatura majoritária de um Bornhausen, de um ACM ou de um Coronel Ubiratan.

Interessava à direita que seu candidato não tivesse o semblante sotuno de outros cascas grossas descendentes da Casa Grande.

Então, encontrou-se um espécime ideal. A máscara de ingênuo abobado ocultava perfeitamente o político autoritário, tão perigoso quanto dissimulado, aquilo que a experiência nos permite chamar de cafajeste.

Sua formação na família apresenta indícios claros de sua natureza. Ali, recebeu as piores lições. O pai, além do carolismo tradicionalista, empenhou-se como entusiasta da União Democrática Nacional (UDN), o partido golpista que sempre combateu qualquer empreendimento público humanizador ou de divisão da riqueza.

A formação política de Geraldo, no entanto, muito se deve a José Geraldo Rodrigues de Alckmin, que serviu como ministro do Supremo Tribunal Federal, indicado pelo presidente Emílio Garratazu Médici. Nessa época, o Estado patrocinava torturas, estupros e assassinatos, com a justificativa de livrar o Brasil da ameaça do comunismo. Rodrigues de Alckmin emprestava total solidariedade aos organismos de repressão. Dizia publicamente que as ações "corretivas" eram necessárias para preservar o traço católico e "anti-esquerdista" da sociedade brasileira.


Tortura como diversão

Na época, a corja de defensores da tradição se divertia em sessões promovidas pela Oban (Operação Bandeirante), em São Paulo, nas quais não faltavam bordoadas, afogamentos e choques elétricos. Entre os amigos de Rodrigues de Alckmin, destacava o industrial Henning Albert Boilesen, presidente da Ultragás, e um dos financiadores da Oban. A pesquisa histórica revela que um dos equipamentos de tortura fora batizado de "Boilesen", em homenagem ao entusiasta dos rituais sádicos da repressão.

Boilesen, eliminado em 1971 por guerrilheiros da ALN, tinha em Rodrigues de Alckmin um amigo fiel, que o tratava como um menino sapeca. Outro parceiro era Theobaldo de Nigris, então presidente da Fiesp, que franqueava a entidade para os encontros de Boilesen com outros empresários.


O moço de Pinda e o terror justificado

Pode-se imaginar como o moço quieto do Vale do Paraíba se adaptou a essa práxis política. Certamente, entretanto, é necessário um olhar para a história, mais precisamente para a história da religião.

Todo o comportamento das seitas fundamentalistas latinas, do Opus Dei à TFP, tem raízes na Inquisição tardia praticada no mundo ibérico.

Há um nome que alinhava todas essas influências ancestrais. Trata-se do espanhol Tomás de Torquemada, o Inquisidor Geral do século 15. Conhecido pelo fanatismo e pela crueldade, o dominicano defendeu a ferro e fogo a "doutrina" da fé.

Em quinze anos à frente da Inquisição Espanhola, estabeleceu duas dúzias de Tribunais do Santo Ofício. Sua ação tocou a vida particular de cada indivíduo. Deter a posse de um livro escrito em árabe, desenhar um castiçal judeu ou tomar banho podiam render uma prisão, dias de tortura e uma execução. Os historiadores estimam que Torquemada comandou os assassinatos de 30 mil pessoas, especialmente na fogueira. Tudo em defesa da unidade da Igreja e pureza da fé.


Ética relativa e doutrina fascista

Acredita-se ingenuamente que as vilanias oficiais de Torquemada estejam restritas ao reinado de Isabel e Fernando. Nada mais equivocado. As tiranias do monge foram inspiração para a recomposição de vários movimentos católicos conseradores e fascistas que desencadearam a Guerra Civil Espanhola.

Assim, como pregava Torquemada, muitos sacerdotes espanhóis da década de 30 exigiam uma "limpeza" do país. Por isso, consentiam e estimulavam a prática da tortura e da eliminação física dos "hereges", fossem eles anarquistas, pacífistas, comunistas ou imigrantes de outras confissões religiosas. Os "subversivos" eram duramente perseguidos. O poeta Garcia Lorca foi executado com um tiro na cabeça. Pablo Picasso teve de exilar-se na Espanha, pois a ele reservava-se igual destino.


Opus Dei no poder: fanatismo e agressão

Ainda que considerasse importante o "expurgo" e a "filtragem", o monsenhor Escrivá, fundador do Opus Dei, desenhou uma imagem pública "civilizada" de sua seita, ainda que a violência física estivesse cotidianamente presente nos rituais de contrição e outros exercícios preparatórios.

Internamente, há inúmeros relatos de sessões de tortura psicológica e até física de membros do Opus Dei. Um caso célebre é de Gladys, uma funcionária da assessoria central do movimento, acusada de vazar segredos sobre as práticas do grupo.

Vale relembrar a ordem de Escrivá em relação à funcionária, reproduzida em vários livros:

- Cójanla después, levántenle las faldas, bájenle las bragas y denla en el culo, en el culo!!, hasta que hable. Háganla hablar!!


A Espanha do atraso

Condenada ao breu da consciência, a Espanha do radicalismo católico permitiu frutificar também uma cultura fascista, falangista e de horror à diferença de pensamento. Entre 1939 e o final da década de 60, o país passou por período de total estagnação econômica e de obscurantismo no campo das ciências naturais e da cultura.

Interessante saber que a partir da década de 60, com o enfraquecimento do Estado, o Opus Dei se converte na tábua de salvação do ditador Francisco Franco. Mas como? Havia anos, a seita tratara de cooptar algumas das melhores cabeças do país, homens e mulheres que se destacassem em seus setores de atividade. Os primeiros da classe estavam sempre na mira dos head-hunters do movimento.

Nessa época, Franco nomeia vários membros do Opus Dei como ministros. Esses colaboradores foram apelidados de "tecnocratas", por aprofundar o traço capitalista da economia e exterminar os antigos processos cooperativos nas pequenas comunidades. Essa tecnocracia voraz diminuiu sensivelmente o poder das correntes falangistas e carlistas no governo. O Opus Dei focou suas atividades principalmente nos colégios e universidades.

Até recentemente, inúmeros membros do governo espanhol estavam ligados ao Opus Dei. É o caso do fiscal geral do Estado, Jesus Cardenal. Em 2002, durante a canonização de Escrivá, estavam presentes no Vaticano o ministro da Defesa, Federico Trillo, a ministra de Assuntos Exteriores, Ana Palácio e o ministro da Justiça, José Maria Michavila.


Sectarismo espanhol para o mundo

Há anos, o Opus Dei desenvolveu um lento e eficaz trabalho de cooptação em vários países, especialmente na América Latina. Dezenas de jornalistas brasileiros, por exemplo, foram levados à Universidade de Navarra pelas mãos de Carlos Alberto Di Franco, membro ativo da organização, atualmente no controle extra-oficial do jornal O Estado de S. Paulo.

Di Franco é também uma espécie de preceptor de Geraldo Alckmin, a quem ministra aulas de teologia, prática religiosa, ação política e estratégia de propaganda.

No continente, o Opus Dei controla inúmeros outros veículos de comunicação e dioceses. É o caso do Peru. O cardeal arcebispo de Lima, Juan Luis Cipriani Thorne é membro ativo do Opus Dei. Grande número de profissionais peruanos são formados de acordo com a doutrina do Opus Dei numa de suas mais conceituadas instituições escolares, a Universidade de Piura.

Sabe-se que o Opus Dei tem outros dois importantes políticos latinoamericanos em suas fileiras. Um deles é o presidente colombiano, Álvaro Uribe. O outro é Joaquím Lavin, líder da direita chilena. Mas não há limite para a influência do movimento. Recentemente, a ministra da educação do Reino Unido, Ruth Kelly, admitiu que pertence à Opus Dei.


As técnicas da Teologia do Ódio

Antigos numerários do Opus Dei sabem que a seita concorda em que "os fins justificam os meios". Dessa forma, mentir, por exemplo, é um pecado perdoado se a finalidade for considerada nobre. É o que justifica, por exemplo, em O Código Da Vinci, as vilanias do assassino Silas.

Entre as práticas de propaganda do Opus Dei, há quatro que se manifestam claramente na campanha presidencial brasileira.

1) Acusar repetidamente, sem descanso, o adversário, de modo a desqualificá-lo para o debate.

2) Apelar ao senso comum, de modo que a crítica pareça sempre palatável, ainda que seja necessário recorrer a figuras de linguagem e à hipérbole nos exemplos.

3) Expor repetidamente o "demônio" que se oculta no adversário, de modo a fazer brotar nas gentes comuns a ameaça a seus valores tradicionais e à estabilidade de suas vidas.

4) Criminalizar os ímpios publicamente, destacando no discurso somente aquilo que serve, de modo prático, à recuperação do poder, segundo os cânones da verdadeira doutrina da fé.

Não por acaso, a cartilha da "geração de conflitos" vem sendo seguida à risca pela oposição de direita espanhola, pelo colombiano Uribe e, de maneira escancarada, pelo candidato do PSDB à presidência do Brasil, Geraldo Alckmin.

Sabe-se do encontro de mais de três horas entre Carlos Alberto Di Franco e Geraldo Alckmin, dois dias antes do debate na Rede Bandeirantes. Pode-se acreditar que algo do comportamento do candidato se deve ao avivamento dessa missão estratégica.

1) Houve intenso trabalho de desqualificação do adversário. Mesmo quando Alckmin era desrespeitoso, fazia questão de distorcer a realidade, acusando o oponente da infração que cometia.

2) Ao dirigir-se diretamente ao eleitor, Alckmin reavivava preconceitos e a idéia da realidade degradada, como se houvesse iminente ameaça aos brasileiros, como se a realidade estivesse inapelavelmente contaminada pela sabotagem dos hereges. As mentiras sobre "geração de energia", "aerolula", "educação em São Paulo" e "questão do emprego" foram repetidas inúmeras vezes, de modo que se convertessem em verdades.

3) O discurso hipócrita e moralista da "corrupção" foi empregado para colar à imagem do oponente os piores atributos.

4) A questão programática foi escamoteada. O rito jurídico foi desprezado. Acendeu-se a fogueira. Pessoas foram condenadas sumariamente, recuperando-se na dissimulação elegante o mesmo discurso inquisitório de Torquemada.

Este do debate é o Alckmin religiosa e obedientemente cafajeste, o que revela finalmente a maldade tirânica dos que manipulam a realidade em nome de um projeto de poder. A missão dos Giordanos Brunos, dos Picassos e dos Lorcas de hoje é desmascarar esse falso anjo tolo. Que seja agora.



Mauro Carrara



Mauro Carrara é jornalista, nascido em 1939, no Brás, em São Paulo. É o segundo filho de Giuseppe Carrara, professor de Filosofia em Bologna, e de Grazia Benedetti, uma operária e militante comunista de Nápoli. O casal chegou ao Brasil em 1934, fugindo da perseguição fascista. Mauro foi para a Itália em 1959, por sugestão do amigo dramaturgo G. Guarnieri. Em Firenze, estudou arte, ciências sociais e comunicação. De volta ao Brasil, passou dois anos na Amazônia. Ao atuar na defesa dos povos indígenas, foi preso pelo regime militar. Libertado, voltou à Itália. Como free-lancer, produziu reportagens para jornais como L'Unita e Il Manifesto. Com o primo Antonino, esteve no Vietnã, no início da década de 70. Em 1973, no Chile, juntou-se à resistência ao golpe contra Allende. No Brasil, como clandestino, aproximou-se do cartunista Henfil, cujos trabalhos traduziu para uma revista alternativa italiana. Na década de 80, prestou serviços para a ONU em países como China, Iraque e Marrocos. Nos anos 90, assessorou ONGs brasileiras, especialmente na área de Direitos Humanos. Cidadão do mundo, atua na área de comunicação e relações internacionais.

segunda-feira, outubro 23, 2006

Bye Bye Dick Vigarista


Nem mesmo os mirabolantes eventos recentes do autódromo de Interlagos foram capazes de transformar o Dick Vigarista em OCTA Campeão. Nem chuvas repentinas, nem placas voadoras, nem poças d' água ou falta de combustível do parceiro.

E para espanto completo da nação, minhas profecias automobilísticas se cumprem, sim é o Massa o pole-position e vencedor do ultimo GP da temporada 2006.

Até ontem às 14hs eu questionava sobre: A probabilidade do Schummy ser OCTA é a mesma de o São Paulo "não" ser campeão Brasileiro este ano. Possível, porém... Nada fácil desta vez...

Justiça seja feita à minha bola de cristal, depois do podium, começou o jogo do Tricolor com gol em menos de 2 minutos de jogo. Heheheh.

Até o mau caráter-mor, Sr. Jean Leite com Toddy ficou de queixo caído pelo humilde brasileirinho que o fará ganhar mais alguns milhões de dólares... ooopss EURO$... substituindo o Hexa (competente, porém ordinário) Michael Schumacher.

O destino do Dick Vigarista está definido. Adeus simpaticíssimo Sr. Schumacher. Vá com Deus, e vá devagar, ou o seu pneu pode furar.

Orgulho brasileiro é isso... Seja nas pistas ou na novela, Felipe Massa ou Massafera...

Nem tão ironicamente, I'm very proud!

Tá com sede?! Bebeu água?!

Um oficial da Agência Latino Americana de Notícias no ultimo dia 13 de outubro, noticiou a intenção da família Bush de comprar o Acuifero Guarani, mesmo sendo um péssimo sinal para os governos da rego.

O Acuifero Guarani é um dos maiores reservatórios de agua potável subterraneo do mundo! Situado em áreas subterraneas da Bolivia, Brazil, Paraguai e Uruguai, estima-se que o total de agua povel chegue a 37,000 km³, os quais seriam capazes de sustentar a necessidade mundial de agua potável por 200 anos.

Luis D Elia, Subsecretário para o Social Habitat no Minitério de Planejamento Federal da Argentina, soltou uma carta parcialmente reproduzida pela INFOBAE.com digital, na qual ele falou da compra feita por Bush de 98,842-acres no norte do Paraguay, entre Brasil e Bolivia.

A notícia circulou quinta-feira em mídias não-officiais em Asuncion, Paraguay.

D Elia considerou esta ação de Bush contraproducente para com o poder regional expresso pelos Presidentes Nestor Kirchner, Luiz Inacio Lula da Silva, Evo Morales, Hugo Chavez e Fidel Castro.

Ele disse que um mal signal que a familia Bush venha fazendo negócios com recursos naturais ligados ao futuro do MERCOSUR. O oficial apontou que essa situação pode causar conflitos hipotéticos com todos os exercitos da região e chamou a atenção para o hábito da familia Bush de associar negócios e política.


Fonte:PRENSA LATINA "Latin American News Agency" - Artigo: Bush Buys Land in Northern Paraguay

Voltar à página incial